18 de abril de 2007

RECONHECIMENTO.


Olá!


Nem sei como chamar-te!
Se querido amigo, se querido homem, se querido anjo, se querido amor , se simplesmente querido.
Mas isso não importa, o importante mesmo é esta vibração que me enche de contentamento e prazer só de pensar em ti.
Tens nome, porque te vejo num especial brilho de um particular olhar que de vez em quando me faz sentir o indizível.
Algo que me envolve e afaga num afecto que não é daqui mas que chega a fazer-me sonhar com o que está para além dos sonhos e da própria imaginação.
Algo que me faz chorar de emoção e bastar-me com ela.
Algo que até a bem pouco tempo era incapaz de conceber ou admitir.
Não sei se isto se chama inspiração ou amor incondicional!
Só sei que é de uma beleza indescritível e sei-o, apenas, porque a vivo.

Como é que conhecendo-me como me conheço há tantos anos ainda vivo momentos em que pareço descobrir-me pela primeira vez?
Como é que se pode sentir tantas emoções diferentes?!
Que fonte é esta que nunca se esgota?!
Que inocência é esta que me faz sentir salva.
De onde brota tanta pureza?!




Gostei muito de escrever tudo isto mas muito mais daquilo que sentia enquanto escrevia.
È como se tudo estivesse dentro de mim e a irradiar num crescendo.
Meu Deus estarei a enlouquecer ou simplesmente a reconhecer partes de mim mesma.?!
Seja como for faço questão que se saiba que me inspiras-te toda esta plenitude apesar de ainda não saber o que fazer com ela.
Creio que se soubesse musica escreveria uma óptima melodia para deleitar a sensibilidade da humanidade,como não sei, desenho simples palavras para testemunhar a grandeza da sacralidade do amor.

Faça-se a tua vontade.RM:~)

2 comentários:

Natacha disse...

:o))

Fernando disse...

Quem me dera poder interiorizar esse estado de espirito! Estou a brincar.
Falando sério,continuas a surpreender-me sempre.És e serás sempre a minha Rosa